quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Cuzco Via Atacama

  

   O projeto estava pronto e era bom. Bem detalhado e extenso, longo,  quase 12000km.. O objetivo: de Floripa `a Machu Picchu, Peru. Juntamos meia dúzia de rapazes na faixa de 60 a 70 anos  e botamos o pé na estrada. Comandante  Dailor (autor do projeto da viagem) C/ Harley Fat Boy, Assis c/ Harley Fat Boy, Ernesto e Grazzi c/ Harley Road King, Escaleira c/   Suzuki GSXF 650, Beto c/  Suzuki Boulevard M800




Da esquerda p/ direita: Grazzi, Ernesto, Beto Saraiva, Dailor ( autor do roteiro da viagem), Escaleira e Assis

                    

16 out. 2010
Saímos com uma mistura de alegria, ansiedade e curiosidade. Também, pudera, dos motociclistas acho que eu era um dos mais novos: modelo 6.2, é isso mesmo, 62 anos. No grupo tinha veínho de 70, mas eu não vou falar quem era, afinal os caras ficam tomando Red Bull e juram que tem 20 anos...
 
A saída de casa. Moto limpinha ! Tudo arrumado. Ansiedade!!
                                         
A primeira parada (após 770 km) foi num lugar belíssimo: São Miguel das Missões (noroeste do Rio Grande do Sul). As ruínas da estância jesuíta são de uma arquitetura comovente. Pena que, apesar de ser um fim de semana, não tinha visitação expressiva. Coisas do Brasil!
Pórtico de entrada , em S. Miguel das Missões.
                                           

Olha o jeito da rapaziada!
                              


é muito bonito



É um monumento realmente incrível!
                                           
                                                                                                          

Dia seguinte entramos na Argentina em direção a Corrientes, mas já bem conscientes de que belezas mesmo só encontraríamos a partir de Salta. E lá fomos nós pelas monótonas retas do Chaco argentino.
Um poquito antes de Salta fomos convidados pela “Policia Caminera” a contribuir com 10 pesos cada para a “pintura” do posto policial. Ainda bem que esses corruptos estão no fim, pois nunca mais fomos incomodados.
Salta é uma cidade lindíssima. À noite a coisa fica muito louca, acho que por ser um berço da musica folclórica argentina.A coisa vai até tarde.
 chegada a Corrientes-Costanera


Corrientes.Olha só que por de sol !

Nós em Salta. Chegada.

Catedral de Salta


                                         







Catedral de Salta 


Igreja de S. Francisco


Encontramos um pessoal do sul da Argentina!


Teleférico. Salta.

19 out 2010
Daí rumo a San Salvador deJujuy, só que optamos de ir por El Carmen, uma rodovia estreita( quase uma ciclovia), com aprox. 60 Km. cheia de curvas em meio a uma mata muito verde.Fantástico!!




Essa é a tal da estrada de El Carmem. Recomendamos à todos os motociclistas!!!!



Final da El Carmen.

Diques e lagos por todos os lados






            
1
Dêsse momento em diante começa um desfile sem fim de paisagens maravilhosas. Quebrada de Purmamarca, com seu Cerro de Siete Colores, até Susques, Passo Yama a 4400 m.s.n.m. (entrada p/ o Chile).

Purmamarca. Comércio por todos os lados.
Os cactos  não são pequenos







Prefeitura. Ninguém se importa c/ chuva. Os telhados são de barro. A última vez que choveu por aqui já faz 400 anos!!!



A M800 e aquelas cores de erosôes.



Pousadas sofisticadas. Diárias de US $$$$ muitos!!

Aí a cabeça começa a rodar.Falta muito o ar e dirigir a moto parece difícil ou impossível. Por qualquer movimento você fica ofegante.
São Pedro de Atacama está perto e a gente no meio do grande Salar. É branco de sal até aonde a vista  alcança. Em S. Pedro a gente encontra com motos de tudo que é lugar do mundo. Dois gajos haviam saído de Calgary (Canadá) e estavam indo prá Ushuaia , a bordo de duas enormes BMs (ali eles já estavam com 17000km  nas costas), viajamos um tempo juntos.  Os europeus trazem as motos de navio da Europa prá cruzarem esses lugares. Um casal de americanos haviam saído de Boston e estavam passando por lá, cada um com XT 660, só que não viajavam por asfalto, só no deserto... Dois holandeses jantaram conosco e no outro dia se meteram no Salar de Uyuni (Bolívia). Ficaram perdidos por três dias. È obrigatório o guia, acostumado com a região. Além dessa fauna S. Pedro é cheio de atrativos,  geisers, Vale de La Luna, excelentes restaurantes,e muito mais!






Reparem a altitude!!! A gente funciona em camera lenta!

Dirigir a moto é complicado. Falta muito o AR!!



Os amigos ajudam a gente a rolar essas altitudes.



Usinas de processamento de sal. Grande Salar de Atacama



Tudo em sal. Só eu que não!



As retas chegam a + de 200 km!!!!!



São Pedro de Atacama está perto.



QQ esforço é complicado. Veja a altitude.



E o BOG lá!!



Lagoa salgada. Aliás, tudo é sal!!



Flamingos.



Vale de la Luna. Atacama.



Olha eles aí de novo!



Por de sol, vulcão e lua. Atacama.



Geisers del Tatio. Atacama.



Sabe qual temperatura? -10







Sempre tem europeu prá tomar um banho...A temperatura da água é quente, mas fóra são muitos graus negativos.



Mordomia de alemães.Super onibusl preparando café da manhã!





Eu e Escaleira guentando os - graus.



Igreja.  MACHUCA.



Igreja Comunidade Machuca.







Igreja S. Pedro de Atacama.


                                                                                                    

24 0ut 2010                                       
                Fomos direto paras Arica (última cidade ao norte do Chile)
Daí prá o Peru > Arequipa, a paisagem muda. A pobreza peruana é chocante!



Olhem só o estado perfeito desta múmia! Inclusive os olhos.


Cratera da queda de um meteorito. + ou - 60 m. Na volta , infinidade de pequenas pedras. Pulverização do meteóro.

Oasis de Quillagua.
Mumias encontradas na construção da PanAmericana. Vejam só o estado! Aqui o corpo de um  chines.
Vejam a clareza do semblante!!
Ferramentas e alimentos encontrados , junto às múmias.

O tamanho da cratera, deixada pela queda de meteorito!!!



Ficou difícil de dar esse Tiro. O Ernesto não se concentrava!



Arica. Chopp bom!










Rumo a Arica. Longas retas.











Salitrera abandonada.

Humberstone. Salitrera Inglesa.


Residências de funcionários da mina de sal.









Igreja



Centro de compras







Piscina c/ Trampolim e tudo



Piscina feita c/ navio invertido!Daqui a galera via as competições!



Olha só o teatro(1920)



Para + ou - 800 pessoas.






Por volta de 1880 essas minas  de sal eram a base de toda a economia






  


Geoglifos. (Que seriam??)Enormes desenhos postados nos morros.





Belíssimo trecho p/ Arica.


Se olharem bem, a esquerda lencinho(preto c/ branco)  de cabelo da Leda, minha mulher, à direita , fitinha vermelha dos cabelos de minha filha Julia. Na verdade, meus anjos da guarda, com quem conversei a viajem inteira e nunca me deixaram cair ou derrapar 




Arica. Igreja. Projeto de Eiffel. O mesmo da torre de Paris.



Esculturas muito loucas, perto de Arica, Chile









Bicho feio.



Arica. Importante porto pesqueiro no Pacífico.



Daqui, deste forte, o Chile deixou, na Batalha do Pacífico, a Bolivia a ver navios de mar!!(1870)





Parece bonito, mas não é! A pobreza é muita.

Juliaca. Impossível!!

Os danados "taxis" peruanos.
Passar pela cidade de Juliaca não tão fácil assim. Isso que voces vêm, são "taxis". Tocados por 125 ou por pedais. São + de 30000. Não dá prá entender. Acabamos nos perdendo uns dos outros.

Arequipa. Bela cidade.



Arequipa , dia.



Orgão da Catedral de Arequipa. Beleza!



Monasterio de Sta. Catalina. 1580. 




Uma parte desse Monastério funciona até hoje. Antes era chique por uma filha aí, para ser freira. Tinham que dar um dote muito grande para conseguir isso.






Lavanderia. 1770. 20 recepientes de barro que serviam de tanques.



Era tão grande que existiam ruas, com nome e tudo.



e praças.

                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                  

27 out 2010
Cuzco é cheia de monumentos da cultura Inca. São palácios espanhóis feitos sôbre as engenhosas e bem encaixadas pedras Incas,  como numa tentativa espanhola, muito louca e sem sucesso ,de banir aquela cultura,  A arquitetura dos índios é muito forte e sobressai de qualquer maneira.
Machu Picchu, lá em cima, de plantão e belíssima!!

Olhem só prá a altitude.Gente,a coisa é feia!!





Se voce quisesse encaixar uma folha de papel entre as pedras, não conseguiria. O encaixe é perfeito!









Sempre, até mesmo no café da manha, a bacia com folhas de coca,, prá mascar e compensar a altitude.





O Escaleira, vestido e camuflado de paraquedista chileno, curtindo, comigo, a praça de Cuzco. Beleza!



Ruelas Incas



Na verdade o que falta em em Machu Picchu, são os telhados! O resto está lá. Foram ruínas que ficaram 400 anos em meio a mata, portanto estão completamente preservadas.+ ou - em 1500 foram abandonadas por se povo e em 1910 redescobertas (Hiram Bingham)



Os encaixes perfeitos.



Pedras que ainda seriam trabalhadas!





Os degraus e platôs para servirem à agricultura e controle da erosão.

A belíssima CUZCO.





Companhia de Jesus. Que maravilha!!



Olha o interior!!!



Convento de Santo Domingo.Cuzco



Quase casei em Cuzco!Noivas não faltavam!

                                                                                                   



30 out 2010
Começamos nossa volta por Puno, fronteira com a Bolívia, Lago Titicaca.Nas ilhas flutuantes, feitas de juncos tramados, vivem as comunidades dos Urus. Barcos, também de juncos e costumes diferentes. Por exemplo: quando o cunhado começa a encher o saco de todos, botam ele num pedaço de ilha, serram com um enorme serrote chamado “justiça” e o cunhado fica à deriva. Ótima solução.
A infra estrutura da região é precária. A gente tem dificuldade até mesmo prá encontrar um sanduiche. Tem que abrir o olho prá autonomia das motos. Chegamos a abastecer num “posto” que era, apenas, bombonas a beira da estrada, com gasolina contrabandeada da Bolivia.
1618  1620



Puno. Barcos p/ passeio no Titicaca. Imaginem isso tudo em movimento, na temporada!!






Lago Titicaca.


Ilhas flutuantes dos Uros.

O mané explicando como se faz uma ilha.



Barcos de juncos. Navegam muito bem.


Comunidade dos Uros, em pleno Lago Titicaca, ao fundo a Bolivia.






Recepção dos Uros (ensaiado demais, acabam cantando até em ingles)



Barcos de Juncos.


Posto de gasolina na fronteira do Peru com a Bolivia.

O que ele tem na mão é uma medida de galão,(3,6 l), assim são as bombas de gasolina na saída sul do Peru.

Geral do lago Titicaca.
                                                                                                                                     

01 nov 2010
Daí saímos voando pro Chile. Um pouco de civilização nunca é demais!
Iquique é bacana, e o caminho p/ Antofagasta é mais ainda. A gente viaja espremido entre as  montanhas e um Pacifico muito azul.
O Chile é muito seguro e organizado. A gente se sente + em casa.
Em todos esses lugares, Uruguai, Chile, Argentina as pessoas vibram com essas viagens de moto. Na estrada são luzes e buzinas. Nos postos chegam as perguntas curiosas: “ de donde vienen” e “prá donde van”.



A altitude. Não dá nem prá conversar!!



Antofagasta, costa do Pacífico, Chile.


No nosso hotel, em Antofagasta, a gente deu de cara com um grupo de brasileiros justamente de Florianópolis. Estavam viajando de onibus.


Estilo Mouro em Antofagasata.


La Mano del Desierto, ruta 5, Panamericana.Chile.


Almoçamos nêsse boteco, cheio de motociclistas de tudo que é lugar do mundo.


La Serena


Lobos marinhos em Antofagasta


                                                                                                          



05 nov 2010
Chegamos à Baia Inglesa, um recanto muito calmo a beira do Pacífico. Muito próximo à simpática cidade de La Serena, onde trocamos o óleo das motocas e ficamos pensando sôbre a confiança que passam nossas máquinas. Essa quilometragem toda e “no” problemas!! Também, se houvesse algum, prá resolver, só trazendo prá casa. Nessas bandas não tem  recurso algum!
Resolvemos abortar nossa ida a Santiago e fomos direto cruzar a cordilheira, rumo à Mendoza.
Nêsse dia encontramos muito mau tempo. Chovia, fazia muito frio e, ainda por cima, começou a nevar (atípico para novembro).Subimos Los Caracoles com muita dificuldade, em direção ao túnel Cristo Redentor. Apesar de todas as proteções (segunda pele, luvas impermeáveis) as mãos não obedeciam mais.Mal consegui bater uma foto do meu painel! Quando chegamos na aduana foi preciso algum tempo de aquecimento e uns goles de conhaque prá poder preencher os papeis alfandegários.
Encharcados e com muito frio, fomos dormir em Uspalata, primeira cidade após a fronteira com a Argentina. De lá, direto à Mendoza, cidade super simpática e aconchegante.
AS belezuras terminam aqui! Agora é só retorno, + ou – 3000km de retas, rumo ao Brasil.
Prá mim ficou um pouco melhor, porque resolvemos, eu e o Escaleira, voltar pelo Uruguai, o restante do pessoal foi por Uruguaiana, e nós prá Bagé RS, minha terra natal. Depois de muito churrasco, pé na estrada e mais 1000km prá Floripa.

Entrada do tunel Cristo Redentor.Começou a nevar. A bolha já está congelada!!
A neve aumentou, mas não chegava a acumular no chão. As mãos não obedeciam, de tanto frio.






Uspalata, Argentina. Ao fundo a Cordilheira gelada.


Mendoza. Vai começar o chopp.


Paysandu, Uruguaii. Com Escaleira, bom companheiro.





Minha filha foi me encontrar em Tubarão, já pertinho de Floripa.
A coisa é muito séria. Esse negócio de viajar de moto é que nem cachaça, pois já começamos a planejar outra. Desta vez acho que será Ushuaia, sul da Argentina, quase no pólo. Até lá...

Um comentário:

  1. Parabéns!!! Um Fantástico passeio!! Espero em breve realiza-lo tbm. Forte Abraço!!!
    Adriano

    ResponderExcluir